segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Alambamento: tradição africana



Cada povo, cada etnia construiu a sua cultura baseado na realidade do momento. Esses costumes e tradições foram passando de geração em geração de forma oral e praticando no dia a dia dentro da comunidade.
A cultura africana é rica em detalhes que encanta quaisquer olhos. A arte de tocar instrumentos musicais, de dançar, de cantar, de gingar, de glorificar, cultuar os deuses e tudo que há na natureza são surpreendentes. Porém, há pouca comunidade primata que mantém a cultura ancestrais. Os líderes Clãs africanos conservadores lutam para manterem vivos a cultura do seu povo, principalmente o idioma falado pela etnia que pertence.



Há etnia africana que é radical, não permitem pessoas estrangeiras dentro da sua comunidade porque eles acreditam que os estrangeiros podem levar maldição, doença e outras consequências para o seu povo. Às vezes pessoas angolanas de outras etnias eram proibidas misturar e foram marcadas com tatuagens tribais. Cada tribinagem exibia a sua marca para identificá-los. 


O que é bastante interessante é saber que algumas etnias africanas que vivem nas cidades que foram invadidas e exploradas pelos europeus não deixaram morrer a sua cultura. Mesmo nos dias atuais, falando outro idioma, atuando numa religião cristão alguns preservam a cultura ancestrais. Algumas cidades imperiais que foram invadidas, exploradas e dominadas pelos islãs são obrigados serem muçulmanos e aceitar a cultura islâmica como pura e verdadeira.
Os islâmicos radicais perseguem e matam os cristãos e os africanos animistas. A crueldade contra as pessoas do sexo feminino tem aumentado a cada dia que passa. Para torna pura e aceita dentro da religião islâmica é preciso haver a mutilação genital sem anestesia. Dezenas de crianças, adolescentes e mulheres morrem por hemorragia e infecção. Onde há domínio islâmico tudo é controlado pelo governo. Os jornalistas não podem divulgar tudo que viu e comprovou. Só deve falar em favor do governo e da religião islâmica.
O interessante que os bakongos (bantus do norte da Angola) que vivem nas cidades grandes ainda preservam o Alabamento tradicional e procuram manter a cultura da sua etnia.   


O alabamento no Brasil é desconhecido, não é praticado. Apesar, que existe diversas etnias angolana no país. O alabamento é algo muito sério, dote que o pai, a tia paterna também recebe muito dinheiro. Ter uma filha educada, trabalhadeira e prendada é algo valioso dentro da comunidade angolana. Um rapaz que desejar uma rapariga para um alabamento precisa ter bens materiais e a rapariga escolhida após o alabamento tem que ser parideira, isto é ter muitos filhos.
O alabamento ocorreu entre etnias diferentes com objetivos de unir forças, poderes, riquezas e ser bons vizinhos. O dote é uma proteção e segurança de um bom alabamento.

Autora: Rainna Tammy  


Las tribus olvidadas de Angola: https://youtu.be/E39GX_XX38c