quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

É Natal





Mensagem: Natal é...

Natal é muito mais que enfeites, presentes, festas, luzes e comemorações...

Natal quer dizer nascimento, vida, crescimento...

E o Natal de Jesus tem um significado muito especial para o Mundo.

Geralmente não se comemora o nascimento de alguém que morreu há mais de dois milênios, a menos que esse nascimento tenha algo a nos ensinar.

Assim pensando, o Natal de Jesus deve ser meditado todos os dias, e vivido da melhor maneira possível.

Se assim é, devemos convir que Natal é muito mais do que preencher um cheque e fazer uma doação a alguém que necessita dessa ajuda.

É muito mais do que comprar uma cesta básica e entregar a uma família pobre...

É muito mais que a troca de presentes, tão costumeira nessa época.

É muito mais que reunir a família e cantar.

É muito mais que promover o jantar da empresa e reunir patrões e empregados em torno da mesma mesa.

A verdadeira comemoração do Natal de Jesus é a vivência de seus ensinos no dia a dia.

É olhar nos olhos daqueles que convivem conosco e buscar entender, perdoar, envolver com carinho esses seres humanos que trilham a mesma estrada que nós.

É se deter diante de uma criança e prestar atenção no que os seus olhos dizem sem palavras...

É sentir compaixão do mais perverso criminoso, entendendo que ele é nosso irmão e que se faz violento porque desconhece a paz.

É preservar e respeitar a natureza que Deus nos concede, como meio de progresso, e fazer esforços reais para construir um mundo melhor.

O Natal é para ser vivido nos momentos em que tudo parece sucumbir...

Nas horas de enfermidades, nas horas em que somos traídos, que alguém nos calunia, que os amigos nos abandonam...

Tudo isso pode parecer estranho e você até pode pensar que essas coisas não têm nada a ver com o Natal.

No entanto, Jesus só veio à Terra para nos ensinar a viver, e não para ser lembrado de ano em ano, com práticas que não refletem maturidade, nem desejo sincero de aprender com essa Estrela de primeira grandeza...

Ele viveu o amor a Deus e ao próximo...

Ele viveu o perdão...

Sofreu calúnias, abandono dos amigos, traição, injustiças variadas...

Dedicou Suas horas às almas sedentas de amor e conhecimento, não importando se eram ricos ou pobres, justos ou injustos, poderosos ou sem prestígio nenhum.

Sua vida foi o maior exemplo de grandeza e sabedoria.

Por ser sábio, Jesus jamais estabeleceu qualquer diferença entre os povos, não criou nenhum templo religioso, não instituiu rituais nem recomendou práticas exteriores para adorar a Deus ou como condição para conquistar a felicidade.

Ele falava das verdades que bem conhecia, das muitas moradas da Casa do Pai, da necessidade de adorar a Deus em Espírito e Verdade, e não aqui ou ali, desta ou daquela forma.

Falou que o Reino dos Céus não tem aparências exteriores, e não é um lugar a que chegaremos um dia, mas está na intimidade do ser, para ser conquistado na vivência diária.

E é esse reino de felicidade que precisa ser buscado, aprendido e vivido nos mínimos detalhes, em todos os minutos de nossa curta existência...

Bem, Natal é tudo isso...

É vida, e vida abundante...

É caminho e verdade...

É a porta...

É o Bom Pastor...

É o Mestre...


É o maior Amigo de todos nós.

Pense em tudo isso, e busque viver bem este Natal...

Redação do Momento Espírita

Autor: Emmanuel (espírito)
Org.: Rainna Tammy


Oya e o Búfalo





Org.: Rainna Tammy

Reza a deusa Oya:  https://youtu.be/ry3VMBJ-NWY



segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

Arte Mediúnica e o seu Desenvolvimento



A magia está presente em tudo e, antes de aprender a praticá-la, é preciso reconhecê-la na Natureza, sintonizando-se com seus ciclos. Também é preciso resgatar o poder pessoal, o que é feito com disciplina e disposição de mudar velhos hábitos e renunciar às comodidades que as interferências externas propiciam. Sem esse poder pessoal não há como obter domínio sobre os elementos. É preciso merecimento para alcançar a graça dos seres que possam auxiliarem e, quando isso é obtido, um cuidado ainda maior é preciso, pois seremos triplamente responsáveis pelos deslizes cometidos através da magia.
Para tornar um sacerdote ou uma sacerdotisa é preciso desenvolver a sabedoria multifocal. Também deve passar por diversos desafios e testes na vida pessoal, além de todo o aprendizado sobre o ecossistema, ciclos cósmicos e as leis vigentes nos três mundos em que deverá atuar. Após longo treinamento, a pessoa finalmente se encontra apta a ser iniciada. A verdadeira iniciação é conferida pela divindade, mas é celebrada num rito em que o Sacerdote/Sacerdotisa se assume como um Avatar e recebe as responsabilidades de sua posição perante os seres divinos e seus ancestrais. Muitas vezes durante as manifestações mediúnicas podemos deparar com maravilhoso atributo artístico que surpreende nossos olhos e a ciência. 


A organização harmoniosa artística começa nas palavras articulas, nas vestes, nos cânticos, nos desenhos, nos gráficos usados num rito ritualístico, nas pinturas de tela, nas confecções de esculturas, nas literaturas, nos poemas etc...


A mera frequência a um curso, ou a participação em rituais, não gera nenhum iniciado. Isso também é uma banalização. Quando os valores reais são banalizados, a vida em si perde seu valor. Quando o aspecto feminino é depreciado, tanto homens quanto mulheres saem perdendo — as pessoas começam a neutralizar seus sentimentos, preocupando-se exclusivamente com realizações e ganâncias, em exercer poder sobre os outros.
A iniciação é a entrega, o momento em que se assume um compromisso perante as divindades e os seres e, feita a iniciação, isso será cobrado, quer se esteja preparado ou não para o que tal comprometimento representa.
Os cursos, as pesquisas e os estudos são uns dos instrumentos bastante interessantes para ampliar o conhecimento e obter um treinamento espiritual com segurança. O conhecimento holístico, o Amor e o amadurecimento pessoal contribuem para que o indivíduo venha adquirir disciplina, organização, equilíbrio emocional, habilidade de leitura, identifique os sinais percursoras, exercita a sua mente, medita, respeita e preserva o ecossistema.


As virtudes Espirituais vão desenvolvendo de acordo com evolução individual, com o treinamento, com a experiência adquirida no decorrer da vida. Os erros também contribuem para a aprendizagem e progresso. Ninguém nasce sabendo, tudo se aprende a aprender.
Todo atributo, faculdade mediúnica e experiência de vidas passadas poderão ser relembrada e despertada no decorrer da vida na Terra.
Um mediador portador de virtudes extraordinárias tem o compromisso de praticar a generosidade a fim de atrair espíritos afins.


Todas as pessoas são portadoras de alguma faculdade mediúnica que ao treiná-lo poderá desabrocha-la como uma rosa. Essa faculdade mediúnica pode ser trabalhada, usada da forma que for melhor para o seu eu e para o próximo¹. Porém, temos a liberdade da escolha e ter a convicção da metafísica “Ação e a reação”.


A magia é uma Arte que deve ser praticada de forma sábia, generosa e defensiva. Nunca usar a magia provocativa, desafiadora ou Bruxedo Ilícito para desgraçar ou matar uma pessoa porque haverá as cobranças de todos os atos praticados. Podemos criar o nosso céu e o nosso inferno, mudar nosso destino para melhor ou pior, ser feliz ou infeliz de acordo com a nossa ação do dia a dia. Somos responsáveis pelo nosso destino. Somos construtores do nosso futuro e da nossa felicidade.
Portanto, a magia é nossa, o poder está conosco e a responsabilidade também.


Autora: Rainna Tammy
________________

1- Todas as pessoas podem ser influenciados por algum tipo de energia (nociva ou benéfica). Somente é médium aquele que for portadora da faculdade ostensivo, sensitivo e percepctivo. Um médium tem o Axé para fazer uma magia manipulada, pode conectar com os espíritos, pode psicografar etc.
A faculdade mediúnica está presente na maioria das pessoas que não é medium. 


Fonte de Pesquisa:

GRAY, Déborah. Como ser uma bruxa de verdade: guia fascinante de magia e poder. – São Paulo: Pensamento, 2010.

KARDEC, Allan. Livro dos Médiuns: guia dos médiuns e dos evocadores. – [Tradução: Renata Barbosa da Silva]. – São Paulo: Petit, 2004.

EVANS-PRITCHARD, Edward Evan, edição resumida e introdução, Eva Gillies. Bruxaria, oráculo e magia entre os Azande. [Tradução: Eduardo Viveiro de Castro] – Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005, (Coleção Antropologia Social).

RIGONATTI, Eliseu. A mediunidade sem lágrima. – São Paulo: Pensamento, 2009 (Coleção Espírita).

Vídeos You tube


Espírito entre nós: https://youtu.be/Z1iDd1nEQNo
   
Faculdade mediúnica - Visão Espírita: https://youtu.be/t2r1Nc78t9I

Formação mediúnica: https://youtu.be/-qolktWBgW0

Arte Mediúnica de Cura : https://youtu.be/-qolktWBgW0