sábado, 4 de abril de 2015

Construção de uma nova identidade



Numa sociedade patriarcal e preconceituosa é difícil aceitar e lidar com uma criança que descobre a sua verdadeira identidade logo na primeira infância.
Na sociedade há um padrão cultural que deve ser obedecida. Desde o nascimento a cultura e a tradição são impostas para seguirmos. A criança do sexo feminino pode usar roupa cor de rosa e o menino jamais pode usar essa cor por ser feminino. O menino pode usar o azul, o verde, o amarelo, o branco etc.
A menina pode chorar porque é sexo frágil, mas o menino não pode chorar porque homem jamais deve chorar. A menina deve brincar com boneca e menino jogar bola. A menina desde cedo deve vestir roupas femininas (saia e vestido) e menino roupa masculino bermuda e camiseta. Talvez, esquecera que no passado o homem usava vestido, saia, brinco, bolsa, pintava lábio, tinha cabelo longo e usava turbante.


A partir do momento que a cidade foi evoluindo a cultura também foi transformando, novas ideias surgiam e as criações eram colocadas em prática e experimentada. O homem passou usar calça e camisa a pouco tempo. O homem vaidoso contemporâneo usa maquiagem, cuidam das unhas, pintam cabelos, usam brincos, tatuam o corpo, depilam, usam silicone, fazem sobrancelha, faz redução do estômago porque as mulheres estão exigentes. Quem não acompanhar a modernidade ficam solitários.


Há um padrão aceitável na sociedade e as pessoas devem obedecer sem questionar. Temos medo de aceitar o novo, temos medo de pensar, temos medo de ser reprimido pela sociedade, temos medo da realidade, temos medo de tomar decisão e temos medo de ter uma visão holística.
O homossexualismo, bissexualismo e o transgênero existiram desde o início da criação e, era algo aceita de forma natural, mas com desenvolvimento da cultura patriarcalismo o indivíduo transgênero era mantido escondido por causa da punição severa, tanto pela igreja quanto pela comunidade patriarcal conservadora.
A visão religiosa acredita que o indivíduo está com legião de demônio, falange de espírito do sexo oposto comandando o comportamento da criatura. Outros acreditam em maldição divina e que é detestável para deus.
A ciência ver o caso como Transtorno de Comportamento de Gênero como doença, transtorno mental e psicológica e você qual é a sua visão sobre o transgênero infantil? Se você tivesse alguém na família qual seria a solução que usaria? O que fazer quando uma criança recusa a vestir roupa de acordo o gênero sexual?
A criança transgênera é normal como outra criança, não há nada de errado com ela, apenas é uma criança diferente, gosto diferente, afinal não existem pessoas iguais, temos que aprender viver e respeitar as diferenças. As autoridades devem respeitar os direitos humanos  banir as Leis burocráticas que barram os direitos de um cidadão transgênero.
O casal heterossexual moderno antes casar deve discutir a situação familiar e estar preparado para aceitar e respeitar a escolha sexual dos filhos.
Os Psiquiatras e os Psicólogos heterossexuais devem apenas orientar os pais a lidar com a situação de forma natural. A agressão verbal, psicológica ou física não irá resolver. Induzir de forma coesiva uma criança transgênera conduzindo-a para uma instituição religiosa tradicional conservadora também não irá resolver porque irá apenas mascarar a realidade temporariamente. A pessoa deve ser o que ela é, e que acha que deve ser e jamais deve permitir as ideias e as visões de uma sociedade patriarcal conservadora venha eliminar a sua felicidade com ideias ou argumentos ultrapassados e sem fundamentos. A família deve está preparada para lidar com a situação preconceituosa da sociedade juntamente com o filho trangênero. Encararar a situação de modo natural sem preocupar com que os outros vão pensar ou dizer. Saiba que você não é a primeira família no mundo a lidar com tal situação e jamais será a última. O Transgênero também ocorre no mundo animal e não há discriminação entre os animais irracionais.


A família ao descobrir que tem filho ou filha transgenêro, deve agir com cautela e verificar de forma criteriosa se é isso mesmo que deseja ou se é apenas fantasia do seu mundo infantil. Caso tenha dificuldade de lidar com a situação deve procurar um especialista para orientar a melhor forma de lidar com o comportamento de gênero. O transtorno está nas cabeças do adultos que vivem uma cultura conservadora que leva o conflito para a pessoa transgênera.


Aqui no Brasil os Cartórios não aceitam nome oficial de uma pessoa transgênera, apenas nome social. O gênero deveria ser alterado para Transgênero, mas infelizmente ainda mantém dois gêneros: masculino e feminino.


Para que esse mundo venha mudar será preciso conscientização social, união do sindicato dos Transgêneros para lutar pela mudança das Leis a fim que todos os Trangêneros, Homessexuais, Bissexuais tenham direitos iguais como cidadãos.
Portanto, se você acredita que na sua cabeça não há preconceito. Eu te pergunto: Você casaria com uma pessoa transgênera?

  





Autora: Rainna Tammy

Fonte de Pesquisa
Criança, gênero e transexualidade https://youtu.be/iO1-rRZ1gmA
Conheça seus direitos e os passos necessários para fazer mudança de sexo https://youtu.be/_IINVtFVrdU

Documentário "Ser o que eu sou" https://youtu.be/srgE8pUmaXU